09/05/2016

Literatura Gótica+Tag do Bungou Stray Dogs {Feat. Asenate}

Yo-Ho, Yo-Ho! Arashi wo koete ~Tá, parei~

Vossa cara autora passou em todas as provinhas! Parabéns pra mim! Não vou ter que dar sub-hiatus no blog! Mas em compensação, essa semana aconteceu foi uma melda comigo...Fui parar na coordenação da escola por causa daquele bendito festival ,que eu comentei sobre na semana passada, e eu apenas me senti na bimestral de matemática novamente: as pessoas passando pela porta, olhando sua cara e apenas rindo porque, até então, você era uma santa imaculada que nada de errado na vida fazia; Cara...EU ODIEI ISSO! Quem me conhece a mais tempo sabe o TRAUMA que eu tenho dessa bimestral! Só de lembrar, eu já solto meus surtos Nakajima Atsushi da vida!

Bem, pessoal, hoje eu vou lhes mandar um post bem legal, que pode até ajudar o pessoal que deseja melhorar a escrita de suas fics, que no caso, é a minha amada-adorada literatura gótica! Saibam que, com literatura gótica, estou me referindo ás duas fases: A fase de fundação, que é a mais importante de todas; E a fase dos desenvolvimentos posteriores, que se inicia ainda dentro do período clássico da literatura gótica. Também temos uma tag hoje que foi feita por mim com a Yami/Nate/Asenate ~Eita menina pra ter pseudônimo~ sobre Bungou Stray Dogs, como uma forma de atrair o público da blogosfera para este lado da força, kkkkk

Sendo assim, lerigoooou!!!!

Uma pequena introdução

Para aqueles que nunca teve a curiosidade de pesquisar sobre o assunto, a Literatura Gótica se iniciou no século XVIII, na Inglaterra, graças ao livro "O Castelo de Otranto" de Horace Walpole. O diferencial da Literatura Gótica em relação aos outros tipos de leitura que conhecemos são a questão dos cenários (Que em um geral, se passariam em castelos medievais, mas graças aos desenvolvimentos posteriores, podemos ver que não necessariamente precisaria ter um enredo que passava-se dentro de um castelo), da forma de escrita (Que deve detalhar bem tanto o ambiente quanto os personagens) e do terror/suspense/drama que envolve a trama (Em grande parte dos enredos góticos, temos a presença da tragédia ou do suspense, que acaba por se tornarem os elementos fundamentais de quase todo conto ou romance gótico). É necessário que saibam diferenciar enredos góticos de enredos ocultistas, hein? Apesar de muitos elementos serem semelhantes, a literatura ocultista se leva mais para o lado das ciências ocultas, enquanto que a literatura gótica, mesmo que apele para alguns elementos religiosos, não se estrema ás ciências ocultas, sendo que no máximo ainda pega dessas ciências os elementos vampíricos, e disso não passa (Pelo menos, não li nenhum conto/novela/romance gótico até hoje que passasse desse limite).
As fases da Literatura Gótica
Sua Formação: Claramente a literatura gótica tem influências demasiadamente antigas, e não me refiro aos do século anterior ao seu surgimento, mas sim a contos medievais, tal como os que o próprio Shakespeare escrevia. A questão é que alguns escritores queriam se sentir mais a vontade com seus enredos, sem toda a censura a qual eram expostos os escritores da Idade Média, ou até mesmo do Renascimento- Um grande exemplo deste fato é um dos artistas da renascença, cujo nome me falha a memória (Eu penso ser Michelangelo, mas talvez eu esteja enganada), mas que escreveu inúmeros sonetos em agrado a outro homem, por quem fora apaixonado toda vida, e metade destes se perderam no tempo, graças a censura de tais demonstrações homo-afetivas, claramente ignoradas na época ~Se brincar, mesmo nos tempos atuais, iria aparecer alguma criatura de Netherhealm pra censurar também~. Tendo em vista o que foi dito acima, Horace Walpole tomou coragem e escreveu a obra prima da literatura gótica, que dava direito á vingança, o lado psicológico encantador, e ao mesmo tempo, inexplicável, visões do passado que atormentam o protagonista como fantasmas, e outros fatores, e o mais importante de tudo: a crítica a moralidade mesquinha, que na época, era enxergada por muitos autores góticos como algo trivial, e até mesmo hipócrita.


Aposentando o gótico clássico: Temos aqui o que chamamos de "neogótico", que foi a reformulação de tudo o que Walpole colocou em suas obras, com alguns toques para realmente incomodar o leitor, por parte de algumas obras, tais como conteúdo sexual ou então algum ponto que afetasse a moralidade pública, coisa muito comum até mesmo no final do gótico clássico; Dois grandes exemplos desse incômodo são "O Monge" de Matthew Lewis e "Carmilla" de Sheridan de La Fanu; Ambos apelaram para alguns temas mais chatinhos de se discutir normalmente naquela época, tal como o fator sexual lésbico do vampirismo (Presente em Carmilla, mas é quase que implícito) e a questão do estupro e do incesto (Presente em O Monge, quando o cardeal Ambrósio acaba por violentar uma das paroquianas, Antônia, descobrindo mais tarde que esta se tratava de sua irmã). Esse gótico de "O Monge" ainda fazia parte do gótico clássico, causando um enorme escândalo sobre a moralidade, e a partir daí, mais contos góticos foram se formando, e muitos desses, entraram para a história da literatura, como títulos muito bem merecidos.
Meus livros góticos favoritos

Frankestein de Mary Shelley: É fato que pouquíssimas pessoas se interessariam pelo livro do Frankestein, mesmo porque, todos já sabem da história do monstro de cabeça achatada feito com metades de mortos que ressurgiu a partir da eletricidade; Mas e se eu contar a vocês que o verdadeiro Frankestein NUNCA teve cabeça achatada? E se eu contar que Frankestein nunca foi chamado pelo sobrenome de seu criador, mas sim de "Criatura"? Se eu contar que existe uma razão decisiva, que é spoiler, pra que o Frankestein de algumas representações atuais tenham medo de fogo? A narrativa de Frankestein é uma coisa surpreendente, principalmente quando ela passa a tratar da obcecação que Victor Frankestein passa a ter por ciência, e principalmente o quanto ele se arrepende depois disso, pagando sua ambição com as mais caras moedas. É um título fundamental para todo bom leitor de Literatura Gótica. 

Dracula de Bram Stoker: Esse é um dos livros mais maravilhosos que eu já peguei na minha mão, minha gente! Vocês tem noção de quão densa é a história desse livro? Esse é do tipo de livro o qual você não descansa enquanto não chegar ao final. Drácula, assim como Frankestein, não possui nenhum filme que o represente tão fielmente quanto o frio conde sem qualquer piedade que temos no livro. Primeiramente, vemos a crueldade dele com a pobre Mina Harker, deixando a mulher no completo desespero por saber que vai se tornar uma vampira estando tão perto de se casar; Depois, vemos a sensibilidade dele com o paciente do manicômio, onde primeiro o alimenta a base de insetos, e depois o mata por se negar a obedecê-lo uma vez mais; E assim Drácula segue matando quem conhece, até seu encontro final com a estaca de madeira, que foi das coisas mais tensas do livro, se querem saber.

O Retrato de Dorian Gray de Oscar Wilde: Pensem em uma história encantadoramente macabra! Jamais pensara eu, antes de ler o livro, que iria descobrir um enredo tão bom como descobri com "O Retrato de Dorian Gray". Lembro-me bem que, não faz muito tempo, eu havia feito uma resenha do livro aqui no blog, -e foi a única que fiz até hoje, heheh- mostrando o quanto estive satisfeita com o livro. Chega a ser espantoso o quanto que Dorian, um moço responsável, inteligente e de boa índole se transforma em um homem egoísta, que usa de sua beleza para manipular os outros ao seu redor, e tudo o que ele faz é movido apenas por seu egoísta interesse de se manter jovem a todo e qualquer preço, até que ele percebe que, mesmo que sua beleza esteja mantida por mil anos, ela não vai apagar o que ele fez para mantê-la, e chega até a ser uma lição de vida indireta que esse livro tem, mesmo que, por mais de uma vez, possamos perceber que ele foi uma cutucada na cabeça da moralidade pública da época.

A Letra Escarlate de Nathaniel Hawtorne: Eu sempre me surpreendo da forma a qual esse livro foi escrito, porque assim: Nathaniel Hawtorne conta o enredo de três pecadores (Hester Prynne, Arthur Dimmesdale e Roger Chillingwoth), sendo que Hester é casada com Roger, porém se apaixona por Arthur, mesmo sabendo que este é um Reverendo, e acaba por ter uma filha com este, chamada Pearl; O único problema é que Arthur vai adoecendo aos poucos, tendo em vista o pecado que cometeu, e como se não pudesse piorar, Roger descobre o que Arthur fez com sua esposa, e acaba usando esse fato como motivo para usá-lo ao seu favor. Essa história, ao meu ver, é um tanto semelhante a "O Morro dos Ventos Uivantes", de Emily Bronte; Porém, nessa trama -assim como em "O Retrato de Dorian Gray"- é evidente que temos uma crítica tripla á moralidade, porque não vão pensando que Hester teve uma filha com Arthur apenas por safadeza, não foi isso; Ela não suportava mais Roger, que não era bom marido, e até certo ponto, ela estaria correta, se a pessoa quem ela procurou não fosse um reverendo (Excelente, já temos três pecados aqui: Adultério, Blasfêmia e Violência *clap, clap, clap*). É uma ótima leitura, que mistura ficção com fatos históricos.


O Coração Revelador de Edgar Allan Poe: Este aqui é um conto belissimamente escrito, cuja aflição e agonia do personagem que temos aqui é bem representada, de uma forma tal que o leitor crê plenamente naquilo que lê. Temos aqui uma curta narrativa feita pelo servente de um asilo, que cuida de um senhor em especial, por quem ele guarda certo ódio, por nada mais nada menos que seu olho, e somente por conta disso, decide matar o velho, tendo que arcar com as consequências mentais após o feito. É realmente uma amostra da insanidade que Allan Poe simplesmente amava descrever em suas obras.

O Gato Preto de Edgar Allan Poe: Esse daqui superou todas as minhas expectativas com o Allan Poe, que demonstrou uma crueldade tão sem tamanho que já lhes aviso: Quem aí se interessou por algum desses livros/contos que apresento aqui, mas tiver um mínimo de amor por gatos, passe longe desse conto; É sério! A cena que desencadeia os fatos dessa trama passa uma enorme aflição ao leitor, e eu, que não sou das maiores fãs de gatos, ainda assim fiquei um tanto chocada com a cena. Temos aqui um homem bom, que é consumido por coisas mundanas (Bebida, jogos, mais ou menos como o próprio Allan Poe, ao final de sua vida) e começa a lidar com uma fúria desenfreada, sendo que todos de sua casa passam a sofrer junto com ele, e os animais são suas principais vítimas. O único que o homem ainda mantinha controle para não fazer nenhuma desgraça com ele era Plutão -um gato preto-, que de todos, é quem acaba por ter a pior sorte aqui. É realmente uma pena muito grande que sentimos do pobre Plutão, mas aos poucos, vemos que seu dono vai pagando com a própria vida pelo que fez a tamanha inocente criatura; E é um conto que admiro muito, dizendo sem medo de ser feliz que é meu conto favorito do Allan Poe.

O Vampiro de Jonh Polidori: É engraçado como essa história foi escrita; Em uma noite tempestuosa, estavam em uma sala Jonh Polidori, Mary Shelley (a autora de Frankestein) e seu marido Percy, Lord Byron e Claire Clairmont. Esses três fabricaram, mesmo que de momento, alguns enredos fantasiosos, que pela lógica, não passavam apenas de uma simples brincadeira, porém Mary Shelley e Jonh Polidori aproveitaram alguns fragmentos desses enredos pequenos e fizeram suas próprias obras. Neste enredo, temos um jovem rico chamado Aubrey, que acaba por conhecer Lord Ruthven (Que é um vampiro) e, em uma de suas viagens juntamente com o Lorde, Aubrey se apaixona por uma moça, e esta é assassinada por Lord Ruthven, que morre tempos depois, fazendo com que Aubrey jurasse não contar o segredo do Lorde durante um ano e um dia. Para o espanto de meio mundo, o Lorde aparece vivinho da silva quando Aubrey volta á Londres, e sabendo que Aubrey era incapaz de falar o segredo do Lorde, ele começa a seduzir a irmã de Aubrey. O que será que acontece no final? Leiam para descobrir! Admito que "O Vampiro" me surpreendeu bastante no quesito Tragédia, onde você fica sem fôlego no final, de tão rápido que as coisas acontecem. É um título agradável de se ler, recomendo a quem se interessar aí.



Algumas observações finais

Sabemos aqui que, grande parte da literatura gótica foi desenvolvida originalmente na Inglaterra, e nada mais justo, tendo em vista que essa parte da literatura se iniciou lá; Porém, para aqueles que não sabem, possuímos muitos representantes brasileiros, e representantes bons, na literatura gótica; Dois que posso citar de cara são Cruz e Souza (Evocações) e Clarice Lispector (A maçã no escuro). Eu li o conto de Cruz e Souza, porém não me recordo de ter lido nenhum de Clarice Lispector. Uma coisa curiosa em relação a isso é que, muitos dos autores que temos aqui foram visitar os locais descritos em suas tramas, apenas para que estas fossem mais detalhadas e bem escritas, o que é um ponto muito importante, principalmente porque nesse gênero de literatura, descrever seus ambientes com precisão é fundamental. Para aqueles que iniciarão esse tipo de leitura agora, mesmo que nem seja por causa desse post, por favor, comecem logo pelos clássicos góticos, e evitem começar logo pelos neogóticos; É apenas uma questão de ir se acostumando ao gótico clássico Que é mais leve, quando se trata de suas conotações para que depois vocês vão a algo mais além, mesmo por que o ponto de destaque desse tipo de literatura é a interpretação dela; O entendimento do que o autor quis passar com aquilo. É apenas uma dica minha, não é obrigado ninguém seguir.


A Literatura Gótica também influenciou muitos autores por fora, e com isso, me refiro até a própria literatura ocultista. Querem um exemplo? Howard Philip Lovecraft Vulgo H.P Lovecraft, que escreveu até mesmo um livro falando sobre literatura gótica. Eu sou obrigada a parar um momento aqui pra dizer quem é H.P Lovecraft pra que vocês não acabem indo procurar algum conto dele, porque literatura ocultista é OUTRO NÍVEL, que nem eu mesma tenho coragem de chegar perto! H.P Lovecraft é um escritor ocultista, um dos maiores da história, que escreveu enredos MITOLÓGICOS com direito a CRIATURAS MITOLÓGICAS também, como aqueles bichos MARAVILHOSOS do The Great Old Ones (Momento Ocultista: "The Great Old Ones", ou "Os Grandes Antigos" seriam entidades maléficas cósmicas que habitam casa canto do nosso queridíssimo planeta, possuindo raças e nomes diferentes também, porém o mais famoso dos "The Great Old Ones" seria Cthulhu), fora a parte que muitos de seus contos inspiraram filmes de terror também. Não recomendo que ninguém de mente frágil *tipo eu* faça esse tipo de leitura inicialmente, mesmo porque, esse tipo de literatura é mais densa, e abrange mais assuntos chatinhos Como a própria demonologia que não é todo mundo que vai querer ler, me entendem? Então recado dado: tomem cuidado para não confundir autores/livros/contos góticos com autores ocultistas, hein? Depois, quem for na internet e procurar qualquer conto aí, olhem quem escreveu, porque geralmente é colocado o gênero de escrita preferencial do autor em questão no seu perfil.

Ok, agora teremos uma tag MA-RA-VI-LHAS que minha frêndi Asenate (vulgo Nate) fabricou conjuntamente com a minha pessoa, só pra brincar mesmo, mas eu prometi a ela que iria postar aqui também, e cá estou eu!

Tag de Bungou Stray Dogs
• Regras •
• Creditar ao Candy Cherry e ao Dama de Ferro pela criação da tag
• Creditar ao blog que te indicou
• Conhecer Bungou Stray Dogs e ser fã do mesmo
1. Faça seu perfil ao modelo de Bungou Stray Dogs (www):


Asenate Protti

Habilidade: Não mais humano (人間失格, Ningen Shikkaku) ~ Ele anula as habilidades dos outros quando entra em contato com eles. Sua habilidade se restringe a funcionar apenas em contato corporal, sendo esta a única desvantagem de sua habilidade.
Idade: 12 anos :33.
Aniversário: 13 de Março.
Altura: 1,57 ou 1,58 (eu nem sei a minha altura)
Tipo sanguíneo: B+ eu acho
O que gosta: Comida, bichos de pelúcia, gatos, alpacas, música e pessoas carinhosas :33.
O que não gosta: Ser contrariada.

Lives
Habilidade: Rashomon (羅生門, Rashōmon) ~ Rashomon fica guardado em sua jaqueta e seu alcance vai bem mais além que apenas sua jaqueta, onde ele pode tomar formas, tais como uma besta negra ou uma sombra que devora o que vê pela frente. Rashomon é bastante prático, sendo adaptável a qualquer situação, podendo se transformar em algo para defesa ou ataque de seu portador.
Idade: 13 anos.
Aniversário: 17 de Janeiro
Altura: 1,65
Tipo sanguíneo: B+
O que gosta: Fins de tarde, Internet, literatura gótica e música.
O que não gosta: Mentiras e hipocrisia.

2. Quais os seus personagem favorito?:

Yami: Dazai Osamu, aquele lindo divoso.

Lives: Os meus são Nakajima Atsushi, Osamu Dazai e o Akutagawa *eu não sei o nome completo dele*

3. Qual o personagem que você menos gosta?:

Yami: Sério isso? A vida wanna ralar comigo. Eu pessoalmente gosto de todos, até dos tiozinhos da máfia lá -qq.

Lives: Fitzgerald. Eu não fui com a cara dele, principalmente quando *spoiler* ele chegou na agência de detetives querendo comprar todo mundo *spoiler off* sem motivos aparentes, sabe? É nós podemos observar que, quase todos os membros do "The Guild" estão lá por necessidades em suas vidas, e ele meio que brinca com todo mundo, por isso não gosto dele.

4. Como você conheceu o anime/mangá?

Yami: Todo mundo do Tumblr reblogava e postava fotos e gifs desse anime, e tipo: EU QUERIA UM ANIME NOVO! E fui ver -qq.

Lives: Começou quando um cidadão da minha sala -cujo nome me nego a falar, mas a Nate lembra quem é- que me infernizava o dia todinho pra que eu fosse assistir Bungou Stray Dogs, e quando vi que ele era um seinen *e por seinens, eu me interesso muito* eu parti pra assistir, e agora toda quarta feira eu me reúno com tia Yami/Nate pra assistir essa coisância, kkk

5. Quais seus shipps do anime/mangá?

Yami: Dazai X Atsushi -qq.

Lives: DazaShi ever and forever, Nathaniel HawtornexMargaret Mitchel e Akutagawaxaquela loirinha que me esqueci o nome

6. Você se shippa com algum personagem?:

Yami: Eu X Dazai u-u.

Lives: Cara, inicialmente eu não me shipparia com ninguém (Com o Nathaniel Hawtorne talvez, ele é bem bonito *-*), mas como eu tenho karma de topar com charas surtados e me dar bem com eles, eu diria que o Atsushi *mesmo porque, esse cidadão é incrível*


7. Você lê o mangá?


Yami: Com toda certeza, não. Eu sou preguiçosa de mais pra isso.

Lives: Leio, muito, demais, amo aquele mangá.

8. Você tem a oportunidade de formar um time com os personagens de Bungou Stray Dogs, sendo que o time é composto por quatro pessoas. Quem você pegaria, e porque.


Yami: Dazai Osamu, Akutagawa fulano de tal, Yoshino Akiko e Atsushi Nakajima. Com toda certeza eu escolheria eles, porque tipo: na minha opinião eles são bem poderosos, e tem poderes bem interessantes.

Lives: Atsushi Nakajima, Osamu Dazai, Nathaniel Hawtorne e Yoshino Akiko. Os dois primeiros porque são fortes, e tem muita vantagem em relação aos inimigos; Nathaniel Hawtorne porque mesmo que ele sangue até morrer, ele ainda pode lutar *mesmo porque, o poder dele é a base do sangue dele, então né* e a Yoshino porque ela é médica né, e todo time que se preze precisa de um médico bem preparado!

9. O que você mais gosta no anime/mangá?


Yami: Com toda certeza, o enredo. Eu fiquei apaixonada pelo enredo, sério. Tipo: tu olha um episódio que mal estreou e dá vontade de ir pra próxima Quarta-feira e ver o novo episódio, sério, esse anime vicia.


Lives: Fora as figuras desse anime? kkkk. Bungou Stray Dogs tem um enredo que me prendeu, de fato; Tanto é que não me aguentei e fui logo ler o mangá, heheh; Ainda assim, ele tem um público pequeno nessa blogosfera, e é preciso que tenha mais gente por aí falando dele, porque merece mesmo. É um excelente anime e um mangá melhor ainda.

10. Para quem você indica a tag?


Yami: Para quem quiser responde-la ;33

Lives: Deixo em aberto :33.



E foi isso! Espero que tenham gostado da minha parte do post sobre literatura (Com certeza pretendo fazer outros de mesma temática) e que a tag tenha estimulado alguém aí a procurar Bungou Stray Dogs para ler/assistir!

Thanks Boys and Girls,
Bye, bye!

7 comentários:

  1. HELLOU LIVEEEES!
    Eu sei que vousse vai querer me matar, mas não vou ler todo o post ;3.

    Ai cara, será que eu fui first? SERÁ? Eu vou me perguntar isso até o fim do comentário (enquanto me pergunto se sou a única capopeira que comenta aqui). Amiga, eu não vou ler o post, e saiba que esse comentário vai ser curto mesmo ~não me culpe por ser preguiçosa, eu nunca pedi pra ser isso~.

    QUANTO DAZAI! DAQUI A POUCO EU VOU FICAR MORRIDA E NO CHÃO! Vou até mudar meu status de relacionamento para: "Em um relacionamento sério com o chão.". É muitos Dazais cara, hoje é o dia em que eu morro do coração.

    Agora sobre a tag: Cara, eu gostay tanto de fazer ela ;u;, tipo: PROVAVELMENTE AINDA NÃO EXISTA UMA TAG DE BSG (Bungou Stray Dogs) NA BLOGOSFERA! Sem falar que eu to rindo das minhas próprias respostas (isso que dá ter demência).

    Ain que comentário lindamente curto ;vv, porém, eu não say mais o que falar.

    SAYONARA e vou ali chorar num catinho / Candy Cherry

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fala, Nate <3

      Vou naaaaaada! Lembre-se que eu também não lancei um comentário perfeição lá no teu blog não, hein. E olha que quem teve o trabalho todinho de ajeitar o post foi você, e eu né....só fiz copiar e colar.

      Cara.....cara.........EU FIZ ISSO DE PROPÓSITO! KKKKKKKKKK. Sabia que você ia ficar morrida com tantos Dazais em um post só. Por falar nisso, HOJE É DIA DE EP NOVO DE BUNGOU STRAY DOGS!!!!!! PARTIU SOLTAR FOGUETÃO NOS SKYES!!!!!!!

      Provavelmente não; Realmente não tem nenhuma tag de Bungou Stray Dogs nessa blogosfera purpurinada que eu e você nos aventuramos! SOMOS PIONEEEEEIRAS DESSA TAG!!!!!! PARTIU SOLTAR FOGUETÃO DE NOVO!!!!!!!!!!!!!

      Tá, vai chorar ao som de "BUTAFLAI",KKKKKKKKKKKK

      Excluir
  2. Hello Lives! o/

    Eita, como que foi parar na coordenação? Mas que bad! D; Mas parabéns por ter passado em todas as provas! \o/

    Eita que eu também amo literatura gótica, por isso adorei o post! Gosto da ambientação e do suspense que gira em torno das tramas, é o tipo de leitura que nos faz querer chegar bem rápido ao final pra saber o que vai acontecer. Acho que o fato de essa literatura fazer tanto sentido até hoje é porque a moralidade hipócrita continua existindo hoje em dia, claro que menos do que naquela época, mas ainda existe, portanto as obras podem ser até consideradas atemporais.

    Com relação aos livros citados, eu só li Frankenstein (que é um dos meus livros favoritos da vida, amo o Victor Frankenstein e a forma como ele vai ficando louco e obsecado; e por outro lado a criatura que é basicamente uma vítima dessa loucura). Os outros todos conheço bem a história mas nunca cheguei a ler; ainda assim tenho vontade de ler todos eles! Do Edgar Allan Poe só li alguns contos, mas esses dois citados não estão entre eles. O Gato Preto nem quero ler por conta disso mesmo, amo gatos então morro de medo de ler isso aí hauhauhauahuha

    Com relação aos brasileiros, já li o de Cruz e Souza, aliás li vários contos e poemas dele que são sensacionais! Dá até um mal estar lendo, mas é bom hahahahaha E Clarice Lispector também não me recordo de ter lido algo dela propriamente dito, mas preciso ler também.

    Sobre a literatura ocultista, eu sempre tive vontade de ler Lovecraft, inclusive ultimamente tenho tido uma vontade ainda maior. Acho que será minha próxima aquisição hahahaha Eu realmente não tenho medo dessas coisas, então acredito que vou gostar bastante da leitura.

    Sobre a tag, nem vou comentar nada porque né, não assisti esse anime ainda. Mas você já me convenceu de que é bom e eu juro que vou assistir um dia hahahahaha

    Quero ver mais posts sobre literatura <3

    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Helo from the other side!!!!

      Foi uma que aquelas bruacas da minha sala armaram pra mim; Tipo, elas me chamaram pra fazer um negócio fora da sala durante o intervalo de aulas, eu achava que não ia demorar uito, mas quando eu voltei pra sala, o professor não deixou a gente entrar, e aí fomos parar na coordenação! Que belo conto de fadas, não acha?

      Na verdade, a ambientação que eu prefiro mesmo é a do neogótico, porque o gótico clássico, em sua maioria, se limitava muito a castelos/mansões/igrejas, já o neogótico escapava de um lugar só, e variava seus ambientes até mesmo a outros países, o que torna o enredo mais interessante ainda.

      Eu gosto bastante de Frankestein também! Inclusive, é esse livro que está me estimulando a procurar "O Médico e o Monstro", porque parte do mesmo princípio de Frankestein, e só me resta agora ver o desenvolvimento da trama para garantir que essa é tão boa quanto Frankestein <3

      De Edgar Allan Poe eu já li muitos contos, e de todos, a insanidade humana representada em "O Gato Preto" foi a que mais me agradou, fazendo com que esse seja meu conto favorito dele. Cara, perto dos paranauês do H.P Lovecraft, "O Gato Preto" é quase uma criança, isso eu te garanto.

      Assim, eu não li nenhum livro/conto de Lovecraft porque pai já leu, e eu pedi que ele me contasse alguns detalhes do que ele já leu, e eu meio que fico receosa de ler pelo que meu pai me contou, mas né, uma hora ou outra eu tenho que dar uma lidinha, nem que seja em um conto só; Por falar nisso, existe um filme chamado "The Evil Dead" (O Remake se chama "A morte do demônio", mas o antigo -que é o que eu recomendo você assistir, se assim desejar- se chama "Uma Noite Alucinante") que foi inspirado no conto "A Casa" do H.P Lovecraft, misturado com algumas mitologias básicas do Necronomicon ~Livro dos mortos, que parece falar só de ocultismo por polegada quadrada, pelo que eu ouvi falar~. O Antigo é divertido de se assistir, porque é mais comédia que terror, agora o atual...vish maria...

      HOMI, ASSISTA! LEIA O MANGÁ DE PREFERÊNCIA TAMBÉM! BUNGOU STRAY DOGS É UM DOS POUCOS MANGÁS QUE LI QUE POSSUI UMA MÁFIA DE AUTORES DE LIVROS! Lá temos Margaret Mitchel ("E o vento levou"), Nathaniel Hawtorne ("A Letra Escarlate"), Jonh Steinback ("As Vinhas da Ira"), o Próprio H.P Lovecraft, o autor do Moby Dick (Eu esqueci o nome dele) *Procura o nome* Herman Mellvile! E o mais interessante é que cada autor, no mangá, possui a habilidade correspondente ao nome de suas obras mais famosas :3 Senti tanto orgulhinho de mim quando eu reconheci quase todo mundo <3 Agora claro, isso no mangá, porque o anime desorganizou TUTO agora que eles resolveram deixar o capítulo 6 (mais recente) e o sete (o da próxima semana) como fillers, o que me deu certa raivinha, porque o clímax do final aconteceria por volta desses capítulos no mangá, mas ok...

      Pode deixar; Na próxima, eu meto literatura romancista aqui pra vocês; Agora aí sim vai ser post grande, kkkkkkk

      Kissus <3

      Excluir
  3. MULHER QUE AULA DE HISTÓRIA FOI ESSA QUE EU ACABEI DE LER!? Manu, tu deveria ter ido dar história e PRINCIPALMENTE LITERATURA lá na minha escola quando eu fazia ensino médio. VÉI, APRENDI MAIS LITERATURA CONTIGO DO QUE COM 3 ANOS DE ENSINO MÉDIO! Senhor, me passe essa tua vontade e gosto pela leitura!

    Enfim, eu num sei se eu já te falei isso, mas eu e leitura não nos damos muito bem, me falta paciência para parar e ler as coisas, sabe!? Ou então, eu que nunca achei algo que realmente prendesse a minha atenção...Mas, no final eu sou preguiçosa com essas coisas e-e''' (tanto é, que foi um parto para a minha mãe me ensinar a ler!)

    Mas, eu adorei ler sobre toda a história da literatura gótica, não fazia nem ideia de como tinha surgido ou de como eram as obras e autores! Muito menos que existisse o Neogótico! Acho que devido a todas aquelas literaturas obrigatórias para vestibular e escola, eu fiquei com essa coisa de que livros de períodos mais antigos são meio "desinteressantes" ou possuem um enredo meio "what!?" / "simples demais". Mas, o troço aí me parece ser mais bacanudo do que eu imaginava!

    Sobre o Frankestein, eu acho que até já ouvi essa história sobre as representações dele em filmes e talls, que não batiam 100% com o livro (pois, essa história num me é estranha). Aliás, AGORA FIQUEI CURIOSA COM OS SPOILER! MANDA AÍ O/

    O Gato Preto me fez lembrar de um conto que eu li no ensino médio (para apresentar um trabalho de literatura), agora eu não me recordo o nome da historia, mas eu sei que era sobre um homem sádico que adorava torturar animais e ver o sofrimento alheio. Esse homem era casado e volta e meia o amigo dele vinha visitar ele e a mulher. Porém, esse amigo dele se apaixonou pela esposa do protagonista e quando ela faleceu ao invés do protagonista ficar triste pela morte da esposa, ele na verdade sentiu um enorme prazer em ver o amigo chorando horrores pela morte da mulher. Algo assim era a historia e por algum motivo essa tua descrição do Gato Preto me lembrou dela (acho por causa da tortura do animal).

    Num se preocupe Lives! Assim que Bungou Stray Dogs terminar de ser lançado eu irei dar os meus surtos na blogosfera e converter o povo da mesma forma que fiz com Hakuouki e Noragami \O/ Eu estou esperando o anime terminar para assistir ele. Mas, de longe o trailer dele foi um dos que mais me interessou nessa temporada <3 E SE TEM MACHO ALFA SEDUÇÃO A COISA FICA AINDA MELHOR <3333 shaushauhsuahsua

    Enfim, vou ficando por aqui

    Kiss

    P.s: Essa música purpurinada só podia ser de marginal shaushauhsu

    P.s 2: E já tacou imagem sedução do teu novo macho de otome game <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Yo, Hina!

      Kkkkkk, fico feliz que tenha gostado! Acho que sei qual sua dificuldade para leitura: você ainda não achou um estilo ao qual se identificasse, e isso é normal; A minha questão é que eu aprecio sempre os clássicos góticos, romancistas e policiais, que são de um acervo bem grande, para falar a verdade. Sabe, você me aparenta ser do tipo de pessoa que se daria melhor com romances policiais, ou com o romancismo propriamente dito (Lembrando que esse último inclui poemas, sonetos e os romances clássicos). Caso você queira tentar, me dá um toque que no mês que vem mesmo eu faço um post de literatura romancista pra te ajudar, ok? ;)

      Na verdade, eu possuía esse mesmo pensamento que você; E o livro que me fez mudar esse pensamento foi A Divina Comédia, que eu me peguei com o texto em poema, e não larguei até terminar os três livros (Inferno, Purgatório e Paraíso), e por aí foi.

      Quer mesmo spoiler? Tá bem, lá vai: O Victor Frankestein morre no final do livro, e a Criatura, esmorecendo de remorso, se queima em meio ao gelo, num ato de suicídio. Pronto falei, kkkk.

      Na verdade, o que acontece em "O Gato Preto" não é bem tortura, mas eu vou te contar, mesmo sendo spoiler: Num primeiro momento, o homem chega bêbado em casa e arranca o olho de Plutão (o gato) da órbita; E um tempo depois, ele nota que o gato começa a evitá-lo, e assim, ele enforca o animal em um ato frio e cruel, descrito no conto de uma maneira tal que lhe passa aflição.

      FAÇA ISSO SIM, PLEASE!!!! É O QUE A BLOGOSFERA PRECISA!!! Assim, o macho alfa que todo mundo adora é o Dazai, e o outro é o Atsushi (Que não é bem um boy magia bonitão, mas sim um machinho alfa fodão que ensinou o Akutagawa a ser gente, MUHAHAHAHAHAH), e os personagens do elenco de Bungou Stray Dogs é só poderozisse por polegada quadrada (Temos o Kyu, o Atsushi, o Lovecraft, o Fitzgerald, o próprio Dazai, o Akutagawa, a Yoshino, a Kyouka, enfim, só os pauerful); Isso no mangá, porque o anime resolver meter um filler agora que embananou os paranauês tudo.

      LÓGICO QUE TINHA QUE SER! Quer ver mais? Ó SÓ:

      https://soundcloud.com/lives-lohengrin/vivalayou
      https://soundcloud.com/lives-lohengrin/chu-chu-luvscandal
      https://soundcloud.com/lives-lohengrin/galaxy-liner
      https://soundcloud.com/lives-lohengrin/oh-my-wolfboy

      Tudo na base das purpurinas cor de rosa, kkkkkkk

      Com certeza! Tenma Asahina é o meu vampiro da jequiti, kreanssa (https://3.bp.blogspot.com/-3BPTjBXBrW8/VykZkHUapfI/AAAAAAAAHiI/RiX-rxjhPCkA_V_sQHOhF7rStCrZL8GhgCLcB/s1600/Compairing.jpg) Sou mais ele que o Shinnosuke; Minha ordem é Tenma, Yukito, o boy de cabelo lilás que eu me esqueci o nome e o Shinnosuke.

      Kissus <3

      Excluir
  4. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir