02/01/2016

Alice Madness Returns

Fala, minhas personas!

Chegamos a 2016...olha como eu tô animada....cri...cri....cri. A coisa que me deixou feliz mesmo na noite de ano novo é que aparentemente eu passei melhor o ano novo que o Natal. Sério, não tô de kidding. Eu disse que prefiro sempre as festas no núcleo familiar mesmo que com a família todinha (claro que uma vez ou outra ir a casa dos avós não mata ninguém né, mas eu sempre prefiro ficar em casa...é, vossa autora é muito caseira mesmo).

Para começar esse ano com um post legal, finalmente vou falar dessa maravilha que caracteriza nosso layout atual, Alice Madness Returns; Essa maravilha nada psicótica que eu joguei um bilhão de vezes e até hoje não peguei a DLC (aplausos pra mim). Como eu disse que ia começar a fazer posts de games de consoles, este aqui vai iniciar essa parte da nossa tag de Games (que até hoje só tem coisa do DiaLovers,kk).

Ah, como notícia secundária da vez, saibam que aquele meu projetinho de tradução do More Character CD do DiaLovers está quase no fim (como são 13 músicas pra traduzir, de 13 já concluí 10) e eu vou contar um negócio pra vocês: teve uma música em específico que (1-Testou a minha paciência até demais/(2- Me fez pagar todos os pecados cometidos por mim até hoje, e o pior é que ela nem valia muito a pena traduzir. No post em questão eu comento mais sobre isso;

Vamos lá ao primeiro post desse ano maravilheuso de 2016


Antes de começar a falar do game, vamos falar um pouquinho do conto do Alice no país das maravilhas,
misturando as partes técnicas com as meio que teóricas. Alice no País das Maravavilhas é um livro escrito por Charles Lutwidge Dogson (O nick que ele usava era Lewis Carrol) que usa de todo tipo de linguagem satírica e quase sem nexo que vocês puderem relembrar (Ou seja, muita sátira de conto Nonsense; Que
possui alguns aspectos aparentemente sem sentido). Assim, eu cheguei a ler o livro mesmo (o adaptado, claro), que era uma edição de bolso chiquérrima que não era minha (dá vontade de chorar só de lembrar o quanto que o livro era bonito), e uma coisa que eu garanto pra vocês é: Apesar da Disney ter mastigado a história todinha, e que nós ouçamos falar dela toda mastigadinha mesmo, esse livro é um dos mais difíceis de interpretação que eu já li; E olha que nesse aspecto eu raramente tenho dificuldade. Por ele usar muita figura de linguagem (tipo metáfora mesmo) e muito enigma em cima das alusões e tals, se você não ler com calma se perde completamente no livro (Com alusão quero dizer que o autor pegou algumas coisas de sua vida pessoal e misturou com a história do livro);



Uma coisa a ser tratada aqui (e COM CERTEZA não tem jeito de a início não ser interpretada de forma errada) é que nosso autor, Tio Carrol, gostava muito de crianças. Tinha uma verdadeira paixão por elas...claro, contanto que não fossem meninos ("Eita Lives...isso quer dizer que...." Pera aí, não surta agora que tem mais); E mais uma coisa, tio Carrol gostava de fotografar e desenhar essas crianças, por muitas vezes, seminuas  "K7, DIZ LOGO QUE ESSE VÉIO ERA PEDÓFILO!!!" Caaaalma, não se apressem antes do tempo contanto que estas tivessem a permissão dos pais, mas convenhamos que relacionamentos desse tipo não são interpretados de forma "Menos Maliciosa" de modo algum! Principalmente depois que cartas de conversas entre eles e as supostas meninas foram encontradas, tá comprovado que o relacionamento entre esse povo NÃO ERA normal, agora se ele chegou as vias de fato não temos como saber.


Em uma bela tarde de 1862, Tio Carrol fazia um passeio com uma das suas "amigas", chamada Alice Pleasance Liddell e suas irmãs (Alice tinha 10 anos na época), e durante o passeio esta pediu que ele contasse uma história, e ele meio que fez um sarrabisco da nossa história aqui; Como Alice havia gostado da história, Carrol resolveu investir nela e deu no que deu; A história rendeu dois livros (sendo que o primeiro é mais voltado para o público infantil e o segundo para o público adulto) que viraram completos Best-Sellers, mesmo depois de sua morte.

O-K, agora vamos falar do game de uma vez por todas; Antes de mais nada, devo dizer que Alice Mad é uma sequência do game American McGee's Alice, que eu não cheguei a jogar apesar de conhecer a história do game muito brevemente mesmo, mas enquanto eu for falando do Alice Mad eu vou contando um pouquinho do American McGee's também, ok?


Vamos começar nosso continho de terror....  


Tudo começa quando em uma noite, a mansão Liddell é queimada e Alice é obrigada a ver seus pais e sua irmã mais velha, Lizzie, serem consumidos pelo fogo. Como ela não escapou completamente ilesa, passou um tempo na Enfermaria Littlemore pra tratar de suas queimaduras, com progresso de melhora cada vez mais lento. Quando finalmente se recuperou, Alice fica tão traumatizada que entra em estado catatônico e é mandada para o Hospício Rutlegde para ser "tratada" pelo Dr. Wilson e pela lindoooona da Enfermeira Cratchet. O Wilson tinha conseguido até se aproximar um pouco da Alice, mas estava ficando cansativo e enjoativo para ele arranjar uma cura para a catatonia da Alice, até que ele deixou a Cratchet cuidar dela, e foi aí que tudo desandou; Essa enfermeira maluca deixou alguns "assisteeeentes hospitalares" cuidarem dela, ou melhor dizendo, acabarem com a sanidade que ela já não tinha usando tratamentos sem nexo algum, desde raspar todo o cabelo dela até usar sanguessugas no corpo dela, até mesmo a por uma camisa de força nela e isolá-la do resto do mundo, mas nada fez efeito. Uma vez, enquanto dormia, ela falou alguma coisa, mesmo que vaga e já foi o suficiente pra que o abuso de autoridade aumentasse. Em um momento, retiraram-na um coelho de pelúcia que ela tinha e arrancaram o olho do brinquedo, então ela começou a chorar feito uma louca e a falar com rimas enigmáticas (tipo o gato risonho), mas quando puderam o bendito olho de volta ela parou, e o Wilson já sabia que ela podia falar.


Em uma noite, enquanto Alice brincava de dar mingau ao coelho, os assistentes hospitalares foram inventar de querer quebrar o brinquedo e a Alice atacou eles com uma colher ("Com uma colher?" É, com uma colher, creiam ou não) e ainda fez a façanha de deixar feridas graves neles. Após outros fatinhos enormes que não posso contar já tô falando demais do primeiro game alguns sinais de recuperação surgiram,  e o coelho branco volta para levar Alice até o País das Maravilhas, que por conta do estado mental dela, não está tão maravilhoso assim. O País das Maravilhas está completamente diferente do que era quando Alice o visitou pela primeira vez, e os seres das maravilhas estavam completamente alterados, e a Rainha de Copas estava mais insana do que nunca, e a própria Alice deveria dar um jeito em tudo. Após este jogo, Alice estava muito melhor, e foi liberada de todo o pesadelo que viveu em Rutledge;



Após tudo isso, ainda assim, ela tem algumas ilusões com o mundo das maravilhas, e ao conseguir um emprego na Casa Houndsditch, participa de algumas terapias com o Dr. Angus Bumby. Um ano após tudo isso, Alice agora tem 19 anos, ainda assim tem ilusões com o País das Maravilhas e se culpa pelo incêndio de sua casa. Um dia quando ela vai a farmácia buscar um remédio a pedido do Bumby, ela começa a ter ilusões com o País das Maravilhas novamente até ser arrastada de volta pra lá. O Gato (essa kreanssa que eu uso como "Back to the Top") diz que o mundo das Maravilhas está sendo perturbado pelo que ele chama de "Trem Infernal" e que Alice precisa dar conta desse trem e das inconstâncias que o mundo das maravilhas sofre se ela quiser salvar a si mesma.

A coisa é: quanto mais Alice vai atrás do que está acontecendo no país das maravilhas, mais ela relembra sobre seu passado e sobre o que aconteceu na noite do incêndio; A teoria mais aceita no início é que o incêndio foi causado porque a gata da Alice, Dinah, havia derrubado um lamparina e queimado a casa, portanto foi acidental, MAAAAS a Alice começa a lembrar de certos detalhes que fazem com que essa teoria não tenha sentido; Por exemplo, a irmã dela, Lizzie, sempre dormia com a porta do quarto aberta, então ela não teria sido pega tão facilmente assim pelo fogo, certo? Assim, a verdade sobre esse mistério todo você começa a saber antes do final propriamente dito, porque aquelas cutscenes tipo como se fossem desenhos mesmo já começam a falar tudo a partir do estágio da rainha de copas, e na verdade foi bem fácil sacar qual era a verdade; Nem precisou fazer muita força cerebral.



Como o game funciona  

O game é de um estilo plataforma, portanto aqui contamos com o salto, o salto duplo e a capacidade de planar (que por muitas vezes eu nem lembrava que tinha) por um limite de tempo. Aqui a Alice também luta com algumas criaturas muuuuuito bonitas do País das Maravilhas (www)(www)(www)(www), e tem até uma boa variedade de inimigos. Logicamente que temos armas características, como a faca (Lâmina Vorpal), a pimenteira, o bule de chá, e a minha favorita, o cavalinho de madeira. Temos também o Shrink Sense (eu acho que se escreve assim) que funciona como o líquido "Beba-me", você fica pequenininho e pode ver coisas descritas nas paredes sobre o que você vai encontrar mais adiante no cenário (Esse primeiro é fixo); E temos o bolo "Coma-me", onde nós ficamos gigantes. Esse item é exclusivo do estágio da rainha de copas. Temos também a bombinha de coelho (serve para explodir algumas estruturas duras) e o Guarda-Chuva (serve como escudo). Existe um modo que quando você está perto de morrer, a Alice entra em Frenesi (fica doidona, pirada, mata tuto que enxerga). Podemos elevar nossas armas, sendo que estas custam dentes que encontramos pelo cenário, e enquanto nós elevamos a aparência das armas mudam (segue abaixo algumas imagens).


Afinal, vale a pena jogar?  

Vale sim, apesar de alguns defeitinhos que dão raiva mas dá pra passar (tipo aquele pulo maravilhoso que esse jogo tem né?). Assim, o jogo tem uma história boa, bastante macabra mesmo, é um jogo
bastante fácil na verdade (Só o que me irrita é aquele bicho, Colossal Ruin, eu acho que o nome é esse); As coisas que não me agradam muito são: O pulo (tem horas que dá uma lagada de leve), o tempo de gameplay (O jogo é bastante demorado, tendo momentos que você chega a enjoar-se do game e deixar ele quieto por um tempo e tals) e o PREÇO (esse game é bom sim, mas eu não daria os 170 reais que são pedidos por ele sem DLC, complemento, item de colecionador, nem nada). Outra coisa que eu descobri é que a diferença de um game pra outro (o tempo de que um foi feito pro outro) são 11 FUCKING ANOS! Será possível que para um terceiro precisarão mais 11? Aí é osso, né Spicy Horse? (Uma das empresas responsáveis pelo game)


Antes de terminar...  

Eu vim aqui mostrar pra vocês a plaquinha de 5 anos que ganhei da Bunny <3 Só porque a lolita da placa não é mais larguinha que não se parece comigo, mas eu amei <3 <3


Ah, mais uma coisa: estou prestes a publicar meu primeiro conto daqueles que mencionei no Nyah!, e quando eu terminar vou deixar o link nesse post aqui pra que vocês leiam, sim? Se não deixar nesse eu deixo no próximo!

Então é isso! Acho que após muito "País das Maravilhas" na veia vocês não vão querer que eu fale dele de novo nem tão cedo, né?kkk. É isso, até a próxima!!!!

Thanks Boys and Girls,
Bye,bye!

6 comentários:

  1. Oooi Lives!

    Huahuhaa imagino como deve ser treta fazer essas traduções, mas pelo menos já tá no finalzinho do CD! \o/

    Eu nunca li o livro original de Alice no País das Maravilhas, acredita? Mas sei que é bem "esquisito" mesmo, bem ambíguo e talz. Bom, se até Salvador Dalí que era mó lokão fez ilustrações para algumas edições do livro, já dá pra imaginar o nível de loucura dessa bagaça.

    O jogo parece bem legal, quer dizer, eu curto games de plataforma, e a estética é suuuper bacana, essa coisa toda de terror. Também achei caríssimo huahauhauhauha Mas o que, 11 anos entre o primeiro e o segundo? Qualé, superou meu Kingdom Hearts já HUAHUAHUHA

    Ah, quando apareceu "Alice atacou eles com uma colher", só consegui lembrar disso HUAuasuUHASUhuahs sorry -q

    Mas agora deu pra conhecer melhor do que se trata o layout (aliás, não sei se comentei antes, mas AMO esse gato do Back to the Top) *u*

    Parabéns pela plaquinha! o/

    L'Énigmatique

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Yo, Happy!

      Pois é, e o pior é quando eu noto que a letra que eu pego (independente da linguagem) não tá completa pra que eu passe traduzida para o papel, como aconteceu com o volume nove! Ainda bem que já resolvi os problemas e só me falta terminar o post,kkk.

      A coisa é que muitas das piadas do livro (bem, pelo menos pelo que deu pra pesquisar e notar pela adaptação) só fazem sentido no inglês da Inglaterra; Aí fica ruim,né?

      Foi justamente por isso que decidi essa temática para o post!

      Excluir
  2. YOOOOOOO LIVES BELEZURA!? \O/

    Olha, apenas os fortes para traduzirem coisas por livre espontânea vontade! Mas, PELO MENOS TU TÁ TRADUZINDO TEU AYATO GOSTOSÃO JUNTO <3.....Ou ele num tá no CD!? '-'

    Enfim, ME JULGUE SOCIEDADE, MAS EU POUCO SEI SOBRE ALICE NO PAÍS DAS MARAVILHAS! Acho bacana o clima que tem, mas nunca li a obra original e ME JULGUEM! NUNCA VI O PRIMEIRO FILME DE DISNEY! Só vi aquele outro lá mais recente com o tiozão johnny depp. Porém, agora fiquei curiosa para saber as tretas desse livro! Aliás, focando nas tretas do autor..............MANU O QUE ESSE POVO TINHA NA CABEÇA!? MEU DEUS, UM BANDO DE LOLICONS!? BOKU NO PICO JÁ NESSES TEMPOS! Gente, que tipo de pais aprovavam isso!? Com certeza seres humanos normais é que não eram! Depois a gente tá nessa merda e num sabem o porque! (se desde os tempos antigos já era assim, o que sobraria para nós então!).

    MAS, focando no game, eu cheguei a ver um trechinho de um gameplay na internet, mas eu queria mesmo era jogar, porém até hoje eu não sei porque diabos não instalei o game no pc!......Acho que é porque bugaria tudo por aqui (já que o meu notebook é pseudo mortinho).

    O game parece muito bom! Agora fiquei muito curiosa para jogar ele, vou tentar baixar, fazer umas rezas violentas aqui e ver se tudo funciona sem explodir /o

    E como assim "Alice atacou eles com uma colher" SHUASHAUSHUASHUA UMA COLHER!? Ok, quem precisa de armas, facas, fogo, quando se tem uma COLHER para atacar as pessoas! Só não supera em poder de fogo as frigideiras! (https://www.youtube.com/watch?v=Z5_l-erM6ks) (http://3.bp.blogspot.com/-e1_-2tGnto8/VfmTYlW9g4I/AAAAAAAABhk/UWEIQQgipvo/s1600/2.png).

    E sobre a plaquinha PARABÉNS POR ELA <3 Mal começou 2016 e tu já tá nas altas ostentações <3

    Enfim, eu não me importaria se tu fizesse mais posts sobre Alice no País das Maravilhas, até porque eu pouco sei sobre isso e nem sei por onde diabos começar a pesquisar. Até vou tentar instalar milagrosamente o game aqui no meu notebook!

    Kiss

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Yo,Hina!

      Sim, ele tá nos CD's; Os volumes dele são sempre os primeiros, independente se é música ou CD Drama.

      Não posso te julgar porque também nunca assisti esse filme animado da Disney; Sendo que também só vi o do tiozão Thug Life do Johnny Depp. E é porque não sei se era exatamente dessa época, mas esse pessoal da Idade Moderna tinha o costume de tirar foto de gente MORTA; Pois é, eles maquiavam o defunto e tudo mais pra parecer o mais vivo possível.

      Assim, o ideal mesmo é jogar o game no console; Até porque, não adianta forçar o seu PC a carregar um jogo sendo que ele não aguenta; Mas já que ficou curiosa com o game, tentar baixar pode ser mais rápido e barato que arranjar um console.

      kkkk, Agora vamos mandar os exércitos trocarem as armas por colheres e os escudos por frigideiras,kkk.

      Excluir
  3. E não se esqueça....QUE ESSA OBRA VOLTOU!!!
    Nossa Alice nas telas do cinema em fim!!!
    Como amoooooooooooooooooooooooo

    Bocchan de: Pequeno Conde

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pode crer,kkk-considerando que eu assisti só esse filme ao invés do animado da Disney, né?kkk

      Excluir