10/05/2015

[Minhas Histórias]-Planeta Inferno-Capítulo 3

Yo-oi!
Gente, hoje vim com mais um capítulo da minha querida e primeira história do Nyah!Fanfiction, Planeta Inferno, que está tendo uma boa repercussão, o que pra mim, é excelente. Esse novo capítulo ficou mais curto que o normal porque eu nãotinha muito tempo pra digitar e eu vou dividir esse capítulo em duas partes, pra render mais! Lembrando que eu lanço capítulos toda semana e que eu pretendo terminar essa história em menos de 15 capítulos, pra não ficar exageradamente grande e enjoativo. Vamos lá?

Província da Luxúria-Parte 1


Alice e seus amigos acordaram da queda que levaram, depois de ter derrotado Minos, o juiz do inferno e terem entrado na passagem para a próxima província, que pela lógica, seria a província de Luxerion, a luxúria. Apesar de não demonstrar, desde o que Luxerion falou para Alice antes dela sair do Limbo, Alice têm particularidades com Luxerion, não se sabe ao certo se é por odiá-la ou porque simplesmente não suporta o jeito dela por lembrar-lhe de alguém. Ela tinha alguma coisa á ver com Luxerion, mas não sabia o quê. Deveria ser por que ela parecia com... Isso para Alice era impossível! Essa pessoa estava morta, mas não era má o suficiente para parar no inferno. Mas era a única explicação viável, porém Alice preferia não aceitar e continuar pensando que era só alucinação da cabeça dela.
O mundo em que agora acordavam tinha o chão revestido de ouro, e almas conjuntas voando pelo céu púrpuro, rindo e se beijando, enquanto que pelas águas, almas cobertas de correntes roxas se contorciam pela água podre, implorando para sair, mas sem sucesso. As paredes do palácio da luxúria eram enormes, com estátua de duas famosas figuras luxuriosas na entrada: Francesca de Polenta e Cleópatra.
–Isso é a luxúria, certo Alice?
Perguntou Jonh, se surpreendendo com a resposta normal de Alice, que sempre lhe respondia á patadas:
–Eu acho que sim.
Do longe, vinha uma aura azul escura, se diferenciando das demais, em uma rapidez assombrosa, que parou na frente de Alice, que continuou em pé, diferente de seus amigos que caíram no chão. A aura se desfez e dela saiu Luxerion, com uma aparência diferente: seus olhos agora estavam negros e seus cabelos mais negros ainda. Sua pele pálida agora tinha cheiro de morto, seu vestido mais pareciam farrapos e sua joias estavam enferrujadas.
–Olá, Alice! Respondeu Luxerion, com um tom de voz cansado e rouco.
–Saiba que eu não vim aqui pra compartilhar das suas futilidades, Lux. Eu só quero que você morra pra que passemos para a próxima província.
–Nossa, que surpresa. Uma menina tão nova e tão burra.
–O quê quer dizer com isso?
Indagou Alice, enquanto seus amigos não se levantavam atrás dela, e pareciam ser lentamente engolidos pelo chão, mas Alice não notou.
–Alice, nós somos os pecados capitais. Nós fazemos parte do equilíbrio do mundo. Você não pode nos matar porque sem nós, as almas infernais seguem para o mundo dos vivos, causando a extinção dos humanos e animais, terminando com o fim do mundo. É isso que você quer?
Alice baixou a cabeça e cerrou as mãos. Ela não podia negar que o que Luxerion falava poderia ser verdade, mas como essas palavras vinham de um pecado capital, ela custava acreditar.
–SUA VAGABUNDA! VOCÊ ESTÁ MENTINDO ÁRA QUE EU NÃO TE MATE, NÃO É MESMO?
–Não precisa se exaltar. Não creio que você faria mal á uma pessoa que você tanto ama, não é mesmo, Coppy?
Coppy? Não pode ser. Não, não, NÃO! Era o que eu temia... Mas porque ela? O que ela fez de mal?
Alice, por fim, escutou um barulho estranho atrás dela, e só viu uma mão sendo engolida pelo chão. Era uma armadilha perversa que Luxerion havia tramado para prender Alice aquele mundo.
Ela levou seus amigos e iria usá-los como alimento, retirando seus pensamentos luxuriosos e se aproveitando das vontades carnais de cada um, para que ela voltasse ao normal. Sabe o que fez Alice parar para pensar quem era Luxerion na realidade?
“Faz cinco anos. Minha mãe havia morrido por falência múltipla de órgãos e meu pai morreu de overdose . Eles deixaram no mundo eu e minha irmã, Alicia, para nos virarmos. O quão egoístas eles foram, nos abandonando á mercê do mundo e de suas crueldades. Amadureci cedo, porém Alicia, que tinha 13 anos na época, sonhava alto demais e um dia acabou indo parar em uma falsa agência de modelos, que usava as meninas para coisas que eu não gosto de falar. Ela fugiu antes que pudessem fazer algo com ela e se acidentou. Morreu afogada. O pior é que eu estava lá, e deixei ela se afogar. Eu sou uma assassina. Eu sou a pessoa ruim nessa história, não ela. Era para eu estar no lugar dela, e agora ela se aproveita dos poderes que tem e se vinga de mim. Como uma pessoa consegue mudar tanto?”
Então, o mistério final foi revelado. Pegaram Alicia para fazer parte da luxúria, mas ainda havia coisas que Alice não sabia que explicariam mais do porque que Alicia estava lá, e porque o responsável por tudo isso escolheu sua irmã para esse trabalho sujo e desonrado.
Quando Alice parou de pensar, ouvira passos rápidos á suas costas e deu de cara com cobras gigantes, semelhantes á hidras roxas com cabeças flamejantes. Alice cortou a cabeça de todas, porém, exatamente igual á uma hidra, ela cortou uma das cabeças e surgiram mais duas no lugar. Alice correu para a água e foi andando pelas cabeças dos luxuriosos para não encostar na água. As cobras aumentarem de tamanho, então Alice seguiu para o palácio da luxúria, onde se encontrou com luxuriosos que comiam ouro e seguiram para matar Alice, só que diferente da outra vez, eles eram almas. Nenhum objeto sólido serviria com elas.
Alice pensou rápido e entrou no palácio da luxúria, onde havia mais cobras. Ela notou um grupo de castiçais do lado da porta e pegou-os. Cortou novamente a cabeça das cobras, porém as queimou logo em seguida. Ela seguiu uma escada á direita da porta de entrada do palácio, e só escutava risos sádicos. Correu pela escada e encontrou Alicia com seus mais novos servos: Jonh, Margaret e William, todos de couro roxo com detalhes amarelos, olhos brilhantes e aparentemente, Alicia devolveu o braço de Meg e Jonh. Eles estavam sendo controlados por Luxerion.
–Meus amigos e minhas amigas!
Disse Luxerion, em sua forma normal, batendo as palmas, trocando o cenário do trono por um coliseu cheio de luxuriosos assistindo.
–Estamos aqui para apresentar uma luta de amigos contra amigos. Conhecidos contra conhecidos e parceiros contra parceiros. Nossa adversária de hoje é ALICE! Contra seus ilustres amigos Jonh, Margaret e Will! Que comece a luta!
Oh não, é meu fim!
Resmungou Alice.



É isso! Obrigada por lerem!
Thanks Boys and Girls
Bye,bye

Nenhum comentário:

Postar um comentário